quarta-feira, 25 de junho de 2014

Believe – Balanço da 1ª Temporada


Eu ainda acredito.

Disse há algumas semanas que as séries canceladas teriam balanço em um único post, mas precisava abrir uma exceção para Believe. E não linguem se o texto pender mais pra uma declaração de indignação do que um balanço propriamente dito. Mas fiquei verdadeiramente indignada com o cancelamento de Believe. Qual foi o problema afinal? Foi a baixa audiência ou simples falta de interesse por parte da NBC? Por que o grande público não conseguiu simplesmente se deixar levar?

Creio que muita gente começou a ver com expectativas erradas. JJ Abrams e Alfonso Cuarón são duas mentes por trás de obras eletrizantes e viciantes, mas esse não é o caso de Believe. Só que mesmo Believe não sendo assim, eletrizante e viciante, consegue fascinar por sua simplicidade e despretensão. Cheguei a ver comentários dizendo que a série é muito “inocente e bobinha” e ainda comparando com True Bloods que seria muito mais “empolgante e sexy”. Oi? Primeiro que não se deve comparar duas séries com estilos e públicos alvos totalmente diferentes. True Bloods é uma série de TV a cabo dirigida a um público adulto, o que permite que tenha cenas mais picantes. Believe é uma série de TV aberta dirigida a toda a família, sendo que que tais cenas não se apliquem até mesmo por não combinar com o enredo. Sobre o “inocente e bobinha”... Inocente até concordo, mas bobinha? E qual é o problema de ser inocente? Será que estamos tão maliciosos e desconfiados que não podemos ver uma uma história altruísta de um pai e uma filha?


Eu amei Believe por tudo que a série quis mostrar. Foi lindo ver Bo e Tate descobrindo que eram filha e pai, conhecendo melhor a si mesmo conforme conheciam um ao outro. Entendendo que o importante era estarem juntos, onde quer que estivessem. E ainda os conflitos entre quererem ter uma vida normal e a vida que estavam destinados a ter. Isso ficou claro em vários episódios. Quando tiveram que roubar uma égua para que que um homem não cometesse um erro fatal, impedir que uma jovem violinista e seus pais sofressem um trágico acidente, ajudar a Agente do FBI que caçava Tate e a filha em um atentado terrorista... Essas e várias outras situações mostraram uma incrível evolução de Bo e Tate. Bo ficando cada vez mais poderosa e altruísta, Tate aprendendo que o mundo não é tão ruim se você acreditar que pode ser bom. E a confiança crescente entre eles foi adorável.


A trama com a Orchestra junto com as descobertas que fizemos sobre as pessoas especias como Bo também foram ótimas. Adorei ver as explicações para tais feitos, bem como as divergências entre Winter e Skouras sobre como esses poderes deveriam ser usados. Sabendo que poderiam ser usados tanto como salvação tanto como destruição. Isso ficou bem claro depois da descoberta de Dani, que estava tão cheia de ódio e rancor que mal conseguia enxergar com razão. Quis matar Bo, mas esta provou que nada é mais forte quando se acredita no amor e na bondade. Conseguindo fazer a moça descobrir que não havia culpa, e que merecia uma segunda chance.

Believe foi cancelada e teve um fim que ao mesmo tempo encerrou a história e deixou aberto para continuação. Contudo, me parece que o título Second Chance é um pedido. Há campanhas pelas redes sociais, petições e afins pra que a série continue. Pela NBC ou outra plataforma. Porque é duro demais saber que não vimos Bo chamar Tate de pai. Nem vimos todo o potencial da menina e os grandes feitos que pode realizar. Nós acreditamos, e isso faz a diferença.


#WeAlwaysBelieve

6 comentários:

  1. Nossa Gabi, de onde você conhece tantas séries? Vou confessar que essa eu não conhecia mas achei bem bacana a temática.
    Não vejo problema uma série ser inocente, precisamos de programas assim para assistirmos com nossa familia, sem cenas picantes, etc.
    Fico triste que a série tenha sido cancelada, mas se deixaram brechas para uma segunda temporada, quem sabe não acabam voltando atrás? Boa sorte. hahaha


    Bjs
    www.booksever.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. GabrielaCeruttiZimmermann27 de junho de 2014 18:27

    Sou seriadora convicta, tenho que conhecer. [rs] Sei lá, só fico de olho nas novas série. Se vai ter alguém no elenco ou produção que eu gosto ou simplesmente um enredo legal. :)
    Estou torcendo, mas acho mais fácil voltar em outra plataforma do que a NBC voltar atrás. :/


    Abraço!

    ResponderExcluir
  3. Oi Gabi,


    Ainda não vi Believe e conheço a história apenas por cima, mas vendo você colocar a coisa dessa forma também lamento o cancelamento. E o que é que tem a série ser inocente? Talvez o problema real, como você mesma abordou, tenha sido depositarem expectativas que não condiziam com o que a série tem a oferecer. Mas fico torcendo por essa Second Chance, para seu deleite, kkkk.


    Abraços!!!

    ResponderExcluir
  4. Francielle Couto Santos7 de julho de 2014 10:59

    Gabi, eu não tenho como opinar muito porque só assisti o piloto dessa série, mas confio demais no seu taco. Eu não continuei por falta de tempo mesmo, mas a proposta é muito perspicaz e instigante, que com certeza deve ser trabalhada aos poucos e com paciência. Por isso, se você afirma que a série ainda tinha muito a oferecer, eu acredito. E como assim tinha gente comparando-a com True Blood? O_O Sem comentários. ¬¬ Nada a ver... coisas realmente bem diferentes.

    Uma pena que os 'números' ainda tenham muito valor sobre esses programas.
    Abraços.
    http://universoliterario.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  5. GabrielaCeruttiZimmermann7 de julho de 2014 19:13

    Então Fran, eu gostei justamente por esse fato de exigir um poco de paciência e que era leve e agradável de se ver. Era uma trama instigante e pra ser trabalhada aos poucos, como você disse. Pena não ser o que "vende", a infeliz comparação com True Bloods prova isso. :/


    Abraço!

    ResponderExcluir
  6. GabrielaCeruttiZimmermann18 de julho de 2014 17:51

    Não, estamos esperando a legenda.


    Abraço!

    ResponderExcluir