segunda-feira, 29 de dezembro de 2014

[Especial de Natal/Resenha] O Presente do Meu Grande Amor

Nome: O Presente do Meu Grande Amor
Autor: Vários
Edição: 1/2014
Editora: Intrínseca
Páginas: 352

Sinopse: Se você gosta do clima de fim de ano e tudo o que ele envolve, presentes, árvores enfeitadas, luzes pisca-pisca, beijo à meia-noite, vai se apaixonar pelo livro. Nestas doze histórias escritas por alguns dos mais populares autores da atualidade, há um pouco de tudo, não importa se você comemora o Natal, o Ano Novo, o Chanucá ou o solstício de inverno. Casais de formam, famílias se reencontram, seres mágicos surgem e desejos impossíveis se realizam. O pessimismo não tem lugar neste livro, afinal o Natal é época de esperança.





Comentários:

Eis mais um livro que ganhei, este de meus padrinhos. O que foi uma grande coincidência, pois estava de olho nesse livro mas sem esperança de lê-lo ainda esse ano. O Presente do Meu Grande Amor é uma coletânea de doze contos sobre as festas de fim de ano escritos por alguns dos mais conhecidos autores da literatura YA da atualidade: Rainbow Rowell, Kelly Link, Matt de La Peña, Jenny Han, Stephanie Perkins, David Levithan, Holly Black, Gayle Forman, Myra McEntire, Kiersten White, Ally Carter e Laini Taylor. Foi meu primeiro contato com cada um deles, e uma ótima forma de conhecê-los.

Por serem doze contos (!) não falarei sobre cada um deles, mas sobre o livro como um todo. Embora talvez algumas menções sejam inevitáveis. O diferencial desse livro, e que gostei muito, é que não são apenas histórias de Natal mas de Ano Novo, Hanukkah, Yule e até Krampuslauf. E até o estilo dos contos é diversificado, indo do simples romance contemporâneo ao sobrenatural, fantasia e até distopia. Sim, pode ser estranho pensar em um conto distópico de Natal, mas A Garota que Despertou o Sonhador de Laini Taylor foi um dos meus favoritos e que fechou o livro com chave de ouro.

Como o próprio título do livro sugere são todas histórias de amor, mas sem melosidades. E como toda forma de amor é válida também encontramos um pouco de tudo nesse quesito. Romances nascidos de amizades, de encontros ao acaso, de favores para terceiros, romance gay e entre garotas que se apaixonam por seres místicos. Mas calma, nada do tipo Bella e Edward. Talvez com exceção de um, mas isso não vem ao caso. Enfim, como as festas de fim de ano invocam o espírito do amor, essa foi uma boa pedida. Sem falar que todos mesclam humor, drama e reflexão.

Não vou dizer que amei incondicionalmente todos os contos, sempre há os que gostamos mais ou menos. Mas pelo que andei lendo tive a impressão de que minha aprovação foi maior que a da maioria. A verdade é que achei os contos muito bem escritos e contextualizados. Alguns são tão envolventes e ricos em conteúdo que poderiam virar livros únicos ou até mesmo filmes. Em alguns casos a adaptação poderia se sair até melhor que o texto original, como no caso de A Dama e a Raposa de Kelly Link. Na verdade não seria nada mal se alguma emissora de TV comprasse os direitos e fizesse um tipo de minissérie em que cada episódio desse vida a um dos contos.

O fato de ser a minha primeira experiência com cada um dos autores – talvez esse o meu grande presente de Natal – me forneceu resultados bem interessantes. Digo isso pois foi uma ótima forma de ter contato com a narrativa de alguns autores como David Levithan, Holly Black e Laini Taylor que já queria há muito conferir e agora fiquei mais sedenta por suas obras. Já autoras como Rainbow Rowell, Stephanie Perkins e Gayle Forman (sim, eu gostei de Que Diabos Você Fez, Sophie Roth?) que se quer cogitava ler mas que me divertiram tanto que fiquei querendo mais. E outros como Matt de La Peña, Jenny Han, Myra McEntire, Kiersten White e Ally Carter que eu não lembro de ter ouvido falar mas que me envolveram tanto que quero ler mais.

A capa não podia ser melhor e mais adequada. A ilustração é simples e sútil, mas muito bonita. Com os casais das histórias patinando no gelo, dá até pra brincar de adivinhação depois da leitura. Alguns são fáceis de reconhecer, outros nem tanto. A Intrínseca caprichou no acabamento e diagramação, deixando uma margem grande que dá um bom descanso aos olhos. Não é errado dizer que o livro tem uma estética tão bonita quanto seu conteúdo.

Esse é um daqueles livros que fazem você ver essa data famosa por unir as pessoas por diversas perspectivas. Do garoto judeu que precisa se vestir de Papai Noel para a irmãzinha do namorado à garota que se apaixona pelo Krampus. Da moça vinda de uma vila destruída pela peste e que precisa fugir de um noivado estranho ao rapaz que ficou de babá do gato do chefe. Da garota que se encantou pela voz do vendedor de árvores de Natal ao garoto arteiro que precisou organizar um presépio vivo. E até de uma menina adotada pelo Papai Noel. Por todos os motivos citados e mais alguns que não devo mencionar, O Presente do Meu Grande Amor merece ser lido. Ah, e Boas Festas!

2 comentários:

  1. Ei Gabi,

    Esse é outro livro que nem olhei duas vezes. Só agora parei para ler os autores e fiquei encantado ao descobri que a Laini Taylor e o David Levithan estão no time. Dois autores que conheci esse ano e que se tornaram queridinhos. Bom saber que o conto da Laini se destaca, essa mulher é muito boa no que faz. E o do David, você gostou? Texto muito bom Gabis, esse livro entrou para lista e certamente vou querer antes mesmo do próximo Natal. Ah, caso não haja outra oportunidade, já deixo meus votos de um Feliz Ano Novo para você e sua família.

    Abraços!!!

    ResponderExcluir
  2. GabrielaCeruttiZimmermann30 de dezembro de 2014 16:41

    Meu interesse maior esse livro era justamente por ser uma forma prática de conferir a escrita de tantos escritores. E valeu muito a pena, Jeferson. Laini realmente arrasa, escreveu um conto riquíssimo em cerca de trinta páginas. E do David não só gostei como me apaixonei, um dos meus favoritos, pena ser um dos mais curtos. ;)
    Obrigada, Jeferson. Desejo um Feliz Ano Novo pra você e sua familia também. :)


    Abraços!

    ResponderExcluir