quinta-feira, 13 de novembro de 2014

[Resenha] No Encontro de Uma Constante

Nome: No Encontro de Uma Constante
Autor: Bruno Luiz Mattos
Edição: 1/2014
Páginas: 164
Onde comprar: Site oficial (impresso) – Amazon (e-book)

Sinopse: Qual a sua Constante? Esta é uma pergunta que nem todos sabem responder de imediato. Por outro lado, essa resposta molda cada ação de nossas vidas. Para saber qual a sua constante, basta olhar ao redor: família, amigos, músicas, esportes, lugares, gostos, segredos e uma variedade de complexidades que forma o que somos. Entre as diversas opções, uma será o ponto de convergência; será forte o bastante para te fixar nesse mundo turbulento. Com versos, criados na tentativa de aceitar o mundo como ele é, Bruno Luiz Mattos dissipa sentimentos sobre amores, amizades e situações complexas que acontecem e se transformam a cada instante. Saber o que sempre esteve, está e estará presente em si mesmo é essencial. Através de questionamentos e conclusões, que só a síntese da poesia pode proporcionar, No Encontro de Uma Constante retrata uma busca interna e inquieta para se sentir infinito.


Comentários:

Preciso começar dizendo que apesar de gostar muito e apreciar poesias não tenho muita familiaridade com o assunto. Mas quando surgiu a oportunidade de fazer parceria com o Bruno vi a chance de me aprofundar mais, criar novas perspectivas. O empurrãozinho a mais veio com a empatia gerada pelo fato de termos a mesma inspiração para escolher títulos, ele do livro e eu do blog. Acabou que tive uma bela experiência, que pelo fato de ser a primeira vez em que falo sobre poesia receio não conseguir fazer jus.

Com versos simples e de fácil compreensão, porém de grande profundidade, No Encontro de Uma Constante contém poesias que refletem sentimentos e momentos que todos já tiveram ou estão sujeitos a ter. Como aquela sensação de tudo parecer incrível quando estamos amando ou terrível quando somos rejeitados. São poemas que nos fazem refletir sobre nós mesmos e o mundo, o que fazemos e o que queremos. Sobre amarmos e querermos ser amados, de procurarmos por algo ou alguém que não nos deixe sentirmos sozinhos ou perdidos. Sobre as constantes e inconstantes de amar.

Gostei muito da contemporaneidade das poesias. Ao usar termos e expressões do nosso dia a dia com liricismo, Bruno fez com que fosse ainda mais fácil assimilar suas simbologias. Que diga-se de passagem são perfeitas. Usa também de algumas dualidades de forma muito bem planejadas, e ao mesmo tempo como se brincasse com elas. Se você levar ao pé da letra faz sentido, mas se interpretar as analogias faz ainda mais. Isso tudo somado resulta em poesias com musicalidade e espontaneidade, que tornam ainda mais fácil o ato assimilar os sentimentos que o autor imprimiu em suas palavras com nossos próprios.

Quando leio um livro de poesias tenho o hábito de lê-lo do início ao fim e ao terminar reler meus poemas favoritos. E que aqui foram quase todos. Também é um pouco difícil querer largar o livro por sua beleza, e não só estética. Por ser um trabalho de um autor tão jovem e que levou quatro anos para chegar em sua fase final possui um valor que fica nas entrelinhas. E sendo uma edição independente não fica devendo nada para as grandes editoras. Prova do carinho e dedicação de Bruno com seu trabalho. E o que dizer dessa capa linda?

Eu poderia ter copiado alguns trechos ou simplesmente mencionado o título de algumas poesias para explicar melhor o que quis dizer, mas acho melhor vocês conferirem por só mesmos. No Encontro de Uma Constante é sem sem duvida um livro para se ter sempre por perto. Para ler, reler e apreciar. A primeira de muitas obras de sucesso de Bruno Luiz Mattos que ainda virão. Foi uma aposta muito feliz e mantenho minhas fichar no que vem por aí.

6 comentários:

  1. Francielle Couto Santos15 de novembro de 2014 20:47

    Gabi, que bela resenha. Primeiramente, parabéns pela parceria! É sempre bom termos a chance de conhecer novos autores e os seus respectivos trabalhos. Vejo que a experiência lhe rendeu bons frutos.

    O engraçado é que, olhando o livro de cara, não é perceptível que o conteúdo se trata de poesias. Mas, ao mesmo tempo, é ótimo se surpreender com isso, ainda mais porque o gênero não tem tanto espaço no mercado literário atual - não quando falamos em autores contemporâneos. Enfim... fiquei com vontade de conferir. É excelente se sentir inspirado por bons versos... :)

    Abraços,
    universoliterario.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. GabrielaCeruttiZimmermann16 de novembro de 2014 11:46

    Obrigada, Fran! Foi realmente ótimo conhecer o autor e a obra, a parceria rendeu bons frutos sim para ambos. ^^


    Também tive essa surpresa ao saber do conteúdo, um dos pontos pelos quais fiz a solicitação. É bom saber que ficou com vontade de conferir. :)


    Abraço!

    ResponderExcluir
  3. Ei Gabi,

    Nossa, quando você anunciou a parceria achei que se tratava de um romance. Mas poesia... definitivamente não é minha praia. Você conseguiu transmitir muito bem sua experiência com o livro. O problema é comigo mesmo. Acho que não tenho sensibilidade o suficiente para captar o que o autor tenta passar.

    Abraços!!!

    ResponderExcluir
  4. GabrielaCeruttiZimmermann17 de novembro de 2014 18:19

    Entendo, Jeferson. Nem todo mundo gosta de poesia. Mas o segundo livro do autor será um romance. ;)


    Abraço!

    ResponderExcluir
  5. Gabriela, desculpa pela demora em vim aqui comentar, mas foi para comentar mesmo, porque já perdi a conta de quantas vezes eu li sua resenha de tão feliz que eu fiquei com ela.



    Ainda é estranho receber tamanhos elogios rs


    Eu me amarro nesses encontros do acaso. Isso traz aquela sensação de destino e é algo muito legal.


    Grande sucesso para todos nós

    ResponderExcluir
  6. GabrielaCeruttiZimmermann10 de dezembro de 2014 18:32

    Imagine, Bruno. Fico feliz que tenha gostado tanto da resenha e espero que tenha atraído mais leitores pra você. ^^


    Minha vida tem sido uma sequência de acasos, e é ótimo ter acasos bons como esse.


    Deus te ouça! :)

    ResponderExcluir