quinta-feira, 12 de fevereiro de 2015

Better Call Saul – Primeiras Impressões


Jimmy antes de Saul.

Um fato inquestionável é que spin offs são tiros no escuro tanto quanto uma original. Não importa quanto sucesso tenha a série mãe, pois a derivada precisa caminhar com suas próprias pernas e mostrar sua própria história. Claro que a maior parte do público que atrairá será aquele que acompanhou a original e precisa mostrar gratidão se mantendo fiel às marcas do passado, ao mesmo tempo que cria seu próprio público. E aparentemente Better Call Saul conseguirá isso.

Em Breaking Bad conhecemos Saul Goodman, um advogado um tanto trambiqueiro mas que foi um aliado importantíssimo para Walter White. E apesar da cena inicial dessa nova série se passar no futuro (ou seria presente?) mostrando que aparentemente Saul adotou uma vida nova e tranquila mesmo parecendo um tanto paranoico, a intenção é nos mostrar o passado desse personagem. Quando ele era apenas Jimmy McGill, um pobre (em diversos sentidos) advogado da defensoria pública que luta para manter também um humilde escritório nos fundos de um centro de estética.

Saul sempre foi um personagem com um certo humor, e ao manter essa característica aqui, nos tempos de Jimmy, acaba ganhando um grande diferencial da série que lhe deu origem. Pois apesar de manter muitas ferramentas e conceitos técnicos em comum podemos perceber um tom mais leve. Chega a ser engraçado ver Jimmy armando seus planos e se esforçando para se tornar o melhor advogado do mundo. Embora na verdade já fosse, só precisou de um pouco de pressão e uma situação peculiar para descobrir isso.


Semelhanças e referências a Breaking Bad estão por toda parte, também não podia e não queríamos que fosse diferente. Ainda mais com Vince Gilligan na produção. Cenas e diálogos que brincam com a realidade de tão naturais, focos em objetos e detalhes, a aparição de personagens memoráveis como Mike e Tuco Salamanca (sendo que o primeiro será fixo)... Mas talvez a mais notável seja a cena do flashfoward em preto e branco usando apenas música de fundo, que remeteu à algo feito na 2ª temporada. Isso também mostra que Better Call Saul poderá brincar com a questão de passado e futuro, o que será muito bom. Pois tanto queremos saber como Jimmy virou Saul quanto o que aconteceu com ele depois de se despedir de Walter.

Como mencionei, a série também precisa ter vida própria. Um bom prequel deve poder ser visto também como uma história qualquer. Como alguém que assistiu a série original posso ter meu julgamento a respeito disso um tanto prejudicado. Mas assisti aos dois episódios já exibidos de Better Call Saul com uma amiga que nunca assistiu Breaking Bad, e pude notar que em momento algum ela se sentiu perdida. Pra ela foi algo novo e que a agradou. Ou seja, duas pessoas assistindo com perspectivas diferentes e que foram bem recompensadas cada qual à sua forma.

A série é uma produção conjunta do canal americano AMC com o Netflix, que tiveram o ato um tanto ousado de renová-la para a 2ª temporada antes mesmo da estreia da 1ª. Mas se continuar se mostrando tão promissora assistiremos aos próximos oito episódios pedindo que venham mais o quanto antes. Better Call Saul é uma série para quem acompanhou Breaking Bad e pra quem não acompanhou também. Mas se estiver na segunda categoria, assista as duas.

Ficha Técnica

Better Call Saul

Elenco: Bob Odenkirk, Jonathan Banks, Michael McKean, Rhea Sheeron, Patrick Fabian e Michael Mando.

Estreia: 08 de Fevereiro de 2015.

Exibição: Segundas-feiras, pela AMC / Terças-feiras, pelo Netflix.











Trailer:

8 comentários:

  1. Eu tô bem afim de ver essa série. Até porque está todo mundo falando muito bem uahsahu Vou esperar terminar a temporada. Espero que não fique lenta e cansativa tipo o Breaking Bad no começo.

    http://rotaseis.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. GabrielaCeruttiZimmermann14 de fevereiro de 2015 14:14

    Better Call Saul já começou mais acelerada que Breaking Bad, Guilherme, então acho que isso não vai acontecer. Mas de qualquer forma vale a pena assistir.


    Abraço!

    ResponderExcluir
  3. Essa série ficou (até agora) muito boa. Me lembro que a uns meses atrás, acho que o diretor, estava desanimado, chegou a dizer que tinha sido um engano fazer essa série e tal. Mas acabou que ela foi muito bem recebida, tá com ótima nota no imdb, e agrada tanto fãs de Breaking Bad, como quem nunca assistiu a série 'original'.


    Beijos,
    Thiago - http://gentlegeek.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Olha aí que ótima review, fica nessa de que "não vai ficar boa"... kkkk Pare Gabi, disse tudo e mais um pouco, mencionar o fato de ter assistido com alguém que nunca viu Breaking Bad foi ótimo, enriqueceu a postagem e com certeza as pessoas que nunca viu BrBa irão ficar empolgadas. Isso aí minha amiga, bom trabalho mais uma vez. Bjos

    ResponderExcluir
  5. GabrielaCeruttiZimmermann20 de fevereiro de 2015 17:37

    Também me lembro de ter lido algo a respeito disso, Thiago. No fundo acho que era nervosismo, normal. Mas realmente estão fazendo um ótimo trabalho, e espero que continue assim.


    Beijos

    ResponderExcluir
  6. GabrielaCeruttiZimmermann20 de fevereiro de 2015 17:47

    Vou confessar que senti um frio na barriga quando abri o e-mail e vi que tinha comentário seu, Fábio. [rs] É que sou neurótica, nunca acho que algo que faço está bom. E se é a respeito de algo que gosto muito é pior. Mas se você diz que está bom eu acredito e agradeço. (Embora eu ainda ache que podia ter feito melhor.) E apareça mais vezes por aqui. :)


    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Oi Gabi!

    Confesso que demorei para ser cativada por Breaking Bad, mas eventualmente viciei. Com Better Call Saul, já adorei o piloto.
    Concordo com o que você disse a respeito dos riscos dos spin-off e, sinceramente, sempre fico meio desconfiada dessas produções. Essa, em específico, tinha o desafio de equilibrar o pesado que sua "mãe" sempre teve e o cômico característico do personagem, mas pelo jeito fará isso muito bem.
    Adoro os detalhes que você citou, típicos do Vince Gilligan.

    PS.: Delirei quando vi o Tuco.

    Beijos
    alemdacontracapa.blogspot.com

    ResponderExcluir
  8. GabrielaCeruttiZimmermann21 de fevereiro de 2015 14:34

    Também demorei para me envolver com Breaking Bad, Mari, começando a me empolgar lá pro final da 1ª temporada. Talvez por Better Call Saul já ter começado mais acelerada contribui pra já gostarmos de início.
    Como ano passado tive duas experiências medianas com spin-off também fiquei com muito receio. Mas realmente estão tirando de letra e espero que continue assim. E colocar o Tuco na história foi uma tirada de gênio!


    Beijos

    ResponderExcluir