quinta-feira, 5 de março de 2015

Battle Creek – Primeiras Impressões


Nem todos os policiais são companheiros.

Ao dar uma primeira olhada na sinopse, que fala sobre “detetives com perfis opostos”, Battle Creek passa a impressão de ser mais uma produção do tipo policial bom e policial mau. Mas quando vi ser uma criação de Vince Gilligan e David Shore pensei “não, não pode ser só isso”. Ou seja, tinha que ver no que isso ia dar. E gostei do resultado.

Na verdade a trama realmente não é tão simples quanto a sinopse aparenta. A força policial da cidade de Battle Creek está com recursos ultra limitados e equipamentos ultrapassados. Forçando a dupla de detetives Agnew e White a usarem uma babá eletrônica como escuta e emprestar a filmadora de um civil para filmar a emboscada de um traficante. E a arma de choque já nem funciona mais. Mas tudo isso promete mudar quando o FBI resolve montar um escritório na cidade, e envia para lá o Agente Chamberlain.

Embora a sinopse fale em detetives, os conflitos serão entre o Detetive Agnew e o Agente Chamberlain. Pois além das diferenças de recursos, que geram discussões básicas, ambos tem personalidades divergentes. Agnew é cínico, não acredita nas pessoas e acha que vale tudo para combater o crime. Já Chamberlain é altruísta, acredita na boa vontade e em apostar no melhor das pessoas. Ou pelo menos isso é o que ele quer mostrar, vemos logo que Chamberlaim está mentindo e parece ser até pior que seu parceiro. Agnew sente que o novo colega não é o que diz, e vai querer provar.

De certa forma, os dois me lembraram Dr House e Walter White. O cara irônico que não confia em ninguém. O cara que todo mundo ama mas ninguém desconfia do que é capaz. Talvez tenha sido a ideia dos criadores, colocar em dois parceiros as características de seus personagens mais icônicos. Fazendo as adaptações necessárias, claro. Mas os dois não ficam à sombra de seus antecessores, tem personalidades próprias e marcantes. Trazendo apenas uma vaga lembrança. Principalmente quando Agnew diz: “Ele é tão bom. E eu o odeio tanto.”

Gostei muito da equipe. Além de ser bem diversificada os personagens prometem trazer bons momentos, embora ainda tenhamos que conhecê-los melhor. Destaque para a Comandante Guziewicz, parece que só mesmo uma mulher de pulso firme para colocar ordem nessa força policial muito fora do comum. Aliás, estou gostando de ver essa onda de mulheres no posto de Comandante e Capitã que essa temporada vem trazendo.

Battle Creek é uma série procedural, o que é de se esperar do gênero. Mas senti que Shore fará algo parecido com o que fez em House, aliando muito bem os casos semanais com o desenvolvimento da trama central. As vezes até servindo de apoio. Gilligan também fez isso muito bem produzindo as últimas temporadas de The X-Files. Então na questão de enredo acho que podemos esperar algo bem promissor.

O piloto pode não ter sido dos melhores, mas serviu de base. Foi para apresentar os personagens, deixando que a história vá se revelando. Conhecendo os criadores, isso já era de se esperar. E como a temporada terá 13 episódios, não deve demorar para a série mostrar ao que veio.



Ficha Técnica

Battle Creek

Elenco: Josh Duhamel, Dean Winters, Janet McTeer, Kal Penn, Aubrey Dollar e Grapevine.

Estreia: 01 de Março de 2015.

Exibição: Domingos, pela CBS.











Trailer:

2 comentários:

  1. Ei Gabi! Gostaria muito de começar assistir essas estreias porém não estou tendo tempo nem de colocar as antigas em dia ): Minha vida está realmente muito corrida devido os estudos. Parece ser um seriado do jeito que eu gosto e deixei aqui na minha lista para uma segunda oportunidade.

    Tá rolando dois sorteios lá no blog, se quiser conferir. Bjsss
    www.booksever.com.br

    ResponderExcluir
  2. GabrielaCeruttiZimmermann13 de março de 2015 18:42

    Sei como é, Filipe. Essa semana também tem sido bem corrida pra mim. Mas é bom saber que deixou na reserva.


    Abraço!

    ResponderExcluir