quarta-feira, 25 de março de 2015

The Returned – Primeiras Impressões


E se tivesse como voltar da morte?

Geralmente não gosto de demorar a publicar primeiras impressões de uma série de TV, fazendo o possível para postá-las antes da exibição do segundo episódio. Mas as vezes, é claro, o tempo não me permite fazer isso. Exceto que nesse caso o atraso foi proposital, pois o piloto de The Returned por si só mal me forneceu material e inspiração para um mísero paragrafo. Então tive que assistir o segundo episódio e pensar um bocado sobre o que vi até me sentir preparada para colocar em palavras.

A série, que é um remake do grande hit francês Les Revenants, se passa em uma pequena cidade americana onde misteriosamente algumas pessoas mortas (algumas há poucos anos, outras há décadas) voltaram a viver. Suas últimas memórias são de minutos antes de suas mortes, não fazem ideia do que aconteceu e agora precisam lutar para se readaptar. Não existe nenhum padrão aparente em suas mortes e nem um por quê de elas terem ressuscitado. Exceto por um menino enigmático e desconhecido que de alguma forma parece estar ligado a esses acontecimentos.

A premissa é bastante interessante, e somado ao fato de ter Carlton Cuse como produtor e Mark Pellegrino e Carl Lumbly no elenco foi o que me atraiu a assistir. Confesso que não me cativou da forma que imaginei, e achei o início até um pouco insosso. Mesmo assim não consigo deixar de ver um bom potencial. Alguns personagens são interessantes e é difícil não se perguntar o que realmente está acontecendo. Se há uma razão científica, sobrenatural ou ambas. Talvez aqui valha aquela máxima “a curiosidade matou o gato”.

A história começa a ser contada no dia em que as pessoas ressuscitaram. Aparentemente cada episódio será centrado em um desses personagens, e mostrando flashbacks do dia em que morreram. Até agora já conhecemos a história de Camille e Simon. Ela é uma adolescente que morreu há quatro anos num acidente de ônibus de excursão, e agora precisará lidar com as mudanças em sua família que para ela soam repentinas. Ele é um jovem que morreu há seis anos no dia de seu casamento, e agora precisa entender que sua noiva se casará com outro.

Mas o personagem que mais desperta curiosidade é pequeno Victor, um menino de aproximadamente 11 anos que apareceu do nada e não fala absolutamente nada sobre si. Sua história deve ser contada no quarto episódio, mas desde o início fica claro que ele não é apenas um garoto comum. Há também um serial killer que depois de anos voltou a ativa. Ele parece fazer algum tipo de ritual com as vítimas e apenas uma delas sobreviveu, mas não há pistas sobre a identidade do assassino.

O que me anima a continuar é que aparentemente deve ter uma discussão entre os personagens sobre o que causou essa ressuscitação em massa. Depois da decepção que tive com os personagens de The Leftovers por não questionarem a verdadeira causa dos fatos misteriosos, fico até emocionada ao ver uns que se perguntam que diabos realmente está acontecendo. Claro que toda boa história deve se focar nas reações e relacionamentos entre os personagens, mas quando há, como aqui, um evento que desafia a lógica creio que a curiosidade sobre os fatos se encaixe na lista de reações normais.

The Returned é uma produção em parceria entre o canal A&E e o Netflix. A primeira temporada terá 10 episódios e até agora teve uma recepção satisfatória. Não acompanhei a versão original francesa e não li nada sobre o quão fiel está sendo, mas se fizer o mesmo sucesso logo deve garantir renovação.


Ficha Técnica

The Returned

Elenco: Mary Elizabeth Winstead, Mat Vairo, Dylan Kingwell, Agnes Bruckner, India Ennenga.

Estreia: 09 de Março de 2015.

Exibição: Terças-feiras, pelo A&E e quartas-feiras, no Netflix.












Trailer:

4 comentários:

  1. Oi Gabi,
    Assisti a série original mais por causa do idioma, do que por causa da série. E no fim das contas gostei. Os personagens são mto bons, os relacionamentos e conflitos entre eles são ótimos, e toque sobrenatural é na medida certa. Mas é um pouco frustrante pq a primeira temp quase não dá respostas. E pior: a segunda temp esta sendo enrolada há anos.
    Pelo que li do seu post, parece que o remake esta sendo bem fiel a série original.
    Abraço,
    Alê
    www.alemdacontracapa.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. GabrielaCeruttiZimmermann28 de março de 2015 19:09

    Pois é, Alê, vi no IMDb que a primeira temporada de Les Revenants foi em 2012 e só agora deve começar a 2ª. Acho estranha essa distância enorme de tempo entre uma temporada e outra de algumas séries europeias.
    Efim, sempre tive certa vontade de ver a original mas sempre estive com a grade cheia. Porém, não resisti ao ver o elenco do remake. Mas é bom saber que, ao menos em tese, está sendo fiel. Até não me importo das respostas demorarem, mas se as questões são discutidas já está bom. [rs]


    Abraço!

    ResponderExcluir
  3. Gabi, como sempre eu aqui no seu blog conhecendo séries novas.
    Essa conseguiu me chamar bastante atenção, mesmo você achando o primeiro episódio com pouco conteúdo (para se fazer uma crítica no caso).


    Enfim, quando eu tiver tempo com certeza darei uma chance!


    www.booksever.com.br

    ResponderExcluir
  4. GabrielaCeruttiZimmermann2 de abril de 2015 18:06

    Que bom que chamou sua atenção, Filipe. E no terceiro episódio ela realmente começa a evoluir.


    Abraço!

    ResponderExcluir