sexta-feira, 3 de abril de 2015

[Minissérie] The Casual Vacancy (2015)


Uma reles adaptação de uma grande obra.

Depois das mudanças de layout e de planos, finalmente estou aqui para falar da adaptação do romance de J. K. Rowlling Morte Súbita. A minissérie de três episódios, exibidos entre 15 de Fevereiro e 1º de Março deste ano, trouxe para as telas os dramas e conflitos do distrito fictício de Pagford mostrados no livro que já foi resenhado aqui no CV. Tive uma relação de amor e ódio com a obra original, mas ela causa um impacto tão grande no leitor ao botar o dedo na ferida que esperava algo parecido de sua versão audiovisual. E é com pesar que pela primeira vez não venho falar positivamente de uma minissérie.

Não assisti com a intenção de comparar com o livro e nem pretendo fazer isso nesse texto, embora possa ser inevitável em alguns momentos. Sabia que alguns fatos precisariam ser omitidos para se encaixar no tempo da produção e outros alterados de modo que ficassem melhor na tela. Pouco antes da estreia soube que até o final havia sido mudado com a autorização da autora, pois o original poderia desanimar os telespectadores. Talvez fosse um erro de minha parte esperar um desfecho totalmente diferente, algo que ao mesmo tempo queria e temia pois ele me deixa triste e causa diversas reflexões. Mas a verdade é que o meio também me decepcionou.

Nem tudo foi um erro total. Fazer mistério sobre a identidade do “Fantasma de Barry Fairbrother” em um primeiro momento foi uma boa jogada, assim como usar o ator que interpretou Barry para ler as mensagens. A cenografia e a caracterização (com algumas exceções) ficaram ótimas e fiéis ao livro, disso não se pode reclamar. O elenco é razoável e creio que acertaram em omitir o personagem de Matt, uma vez que ele não acrescentava muita coisa. (Também foi benéfico o corte na quantidade de palavrões.) Ainda assim, tenho a impressão que um dos grandes problemas (possivelmente o maior) foi ter um elenco grande demais em um produção de três horas. Faltou tempo para explorar melhor alguns personagens e seus problemas, fatos que originalmente provocam choque e reflexão.

The Casual Vacancy é um livro de críticas à sociedade. Mostrando que uma cidade pequena não é tão idílica quanto alguns pensam, que aparentes vidas pacíficas escondem sérios problemas. Como as diversidades sociais são vistas e tratadas de forma particular por cada um. E faz isso provocando o leitor, forçando-o a rever seu conceitos. Mas com tantas omissões, a minissérie fez isso de forma apenas superficial. Se lendo eu me remoí, refleti e até lacrimejei com o final, assistindo o máximo que fiz foi morder os lábios. As vezes de tédio.

Não gosto de condenar totalmente uma adaptação, desde que faça jus ao original. The Casual Vacancy poderia se sobrepor ao livro, mas ao tratar a trama de forma lenta e superficial corre até o risco de ficar marcada como uma produção que afasta leitores em potencial. Recomendo o livro, mas não a minissérie.

8 comentários:

  1. Oi Gabi,
    Depois que assisti a minissérie Great Expectations, fiquei traumatizado com a BBC. O livro do Dickens é fantástico, mas a adaptação ficou mto fraca e foram exatamente os mesmos problemas que vc notou na adaptação de Morte Súbita.
    Sinceramente nao sei se o problema é a BBC que não sabe fazer boas adaptações ou se é por ser uma minissérie, com apenas 3 eps.
    Abraço,
    Alê
    www.alemdacontracapa.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Francielle Couto Santos5 de abril de 2015 18:36

    Gabi, sinceramente não tive interesse nem pelo livro, embora tenha lido comentários muito positivos. E pra quem leu e curtiu, é impossível não fazer certas comparações... uma pena no seu caso a impressão não tenha sido positiva. Enfim, pelo visto também não irei assistir...

    Beijos,
    http://universoliterario.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Oi Gabi!
    Puxa...quando a minisérie foi anunciada, pensei: "É agora que eu tomo vergonha na cara e leio esse livro" rsrs. Não foi o que aconteceu. Mas se seus comentários sobre a adaptação não me estimularam a assisti-la, certamente me deixaram ainda mais empolgada em ler o livro. Tenho que fazer isso ainda esse ano!
    Beijos,
    alemdacontracapa.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. GabrielaCeruttiZimmermann7 de abril de 2015 14:44

    Olha Alê, tá aí uma grande questão. Pode ser que o problema seja por serem minisséries de três episódios mesmo, pois gosto das séries da BBC adaptadas de Sherlock Holmes e Os Três Mosqueteiros. Apesar de que estão mais para releituras, e a 2ª temporada dessa última foi meio morna. Mas é triste ver tramas intensas tratados dessa forma.


    Abraço!

    ResponderExcluir
  5. GabrielaCeruttiZimmermann7 de abril de 2015 16:24

    Então, Fran, já tive uma experiência difícil com o livro... Não é uma leitura exatamente agradável mas essa nem a intenção da obra, que serve pra provocar e faz isso muito bem. Só que até cair a ficha sobre isso se vai metade do livro. Ele é muito bom pra quem estuda/trabalha na área de humanas, indiquei pra uma amiga que cursa Assistência Social e ela disse que realmente tem questões pra refletir. Mas a minissérie... Essa foi um espetáculo de tédio e superficialidade. Não recomendo mesmo, Fran.


    Beijos!

    ResponderExcluir
  6. GabrielaCeruttiZimmermann7 de abril de 2015 16:28

    Fiquei chateada e decepcionada, Filipe. Esperava algo provocativo mas o que vi foi superficial e tedioso. Vou esperar por sua opinião.


    Abraços!

    ResponderExcluir
  7. GabrielaCeruttiZimmermann7 de abril de 2015 16:37

    Então, Jeferson... Pode ser porque normalmente tenho preferência por comentar o que gostei e recomendo, mas nem sempre dá fugir de criticar né? Achei a minissérie bem superficial, ainda mais levando em conta a profundidade do livro. Mas quando assistir me diga o que achou.


    Abraços!

    ResponderExcluir
  8. GabrielaCeruttiZimmermann7 de abril de 2015 16:51

    Bom Mari, fico feliz que meus comentários pelo menos serviram pra te animar mais com o livro. [rs] Não é exatamente uma leitura agradável, mas nem é a intenção da obra que serve pra provocar e faz isso muito bem. Só me dei conta disso lá pela metade do livro, mas foi aí que realmente pude aproveitá-lo. Agora vou ficar esperando por sua resenha. :)


    Beijos!

    ResponderExcluir