quinta-feira, 29 de janeiro de 2015

[Resenha] A Profecia de Samsara

Nome: A Profecia de Samsara
Série: Red Luna – Livro #02
Autora: Leticia Vilela
Edição: 1/2014
Editora: Gutenberg
Páginas: 256

Sinopse: Quando o príncipe do Clã mágico dos Devas é assassinado, as suspeitas recaem sobre sua própria mestra, Draupadi. O irmão do príncipe, o jovem Arjuna, jura vingar sua morte e persegue a criminosa pelos reinos mágicos da antiga Índia. Draupadi inicia sua fuga ao lado de Asti, uma humana a quem chama de filha, que guarda um segredo em seu corpo desde que nasceu - uma maldição ancestral em forma de tatuagem, da qual procura desesperadamente se libertar. Todos os fatos fazem os destinos de Arjuna e Asti convergirem definitivamente, o que torna inevitável a concretização da temível 'Profecia de Samsara'.


Comentários:

Tenho o hábito de constantemente ficar olhando os lançamentos no Skoob e marcar os que acho mais interessantes como desejados, mesmo que não faça a menor ideia de quando irei lê-los. Foi assim que descobri A Profecia de Samsara, e fiquei interessada por uma fantasia envolvendo mitologia indiana escrita por uma autora brasileira. Grande foi minha surpresa quando recebi uma mensagem do Marcos Inoue, o roteirista do livro, dizendo que tinha uma cota de exemplares de autor e que poderia me enviar um. Não pensei duas vezes antes de aceitar. E ainda recebi autografado.

Antes de tudo, preciso dizer um grande erro de minha parte. Como tenho um medo enorme de pegar spoilers, acabo não pesquisando muito a fundo sobre os livros antes de concluir a leitura. Eis que quando comecei a ler descobri que o livro faz parte de um projeto nacional multimídia chamado Red Luna, que inclui livros, HQs e games. Mas quando fui fazer as pesquisas para escrever a resenha descobri que A Profecia de Samsara é o segundo livro. O primeiro é A Biblioteca do Czar, escrito pelo Marcos Inoue e Gabriel Morato. Como cada livro tem protagonistas, se passam em épocas e até usam como base mitologias diferentes não cheguei a ser prejudicada. Mas claro que irei ler o outro livro, e espero que em breve.

Esclarecimentos dados, vamos à trama em si. A história se passa em 3026 a.C, no território que hoje conhecemos como Índia. Arjuna é um jovem Príncipe Deva, que persegue a também Deva Draupadi que além de ser acusada de vários crimes é a principal suspeita da morte de Bhima. O irmão de Arjuna. Acontece que Draupadi anda com Asti, uma garota humana a quem chama de filha e que é a chave para uma antiga profecia. Ela pode destruir ou libertar uma antiga força do mal. Mas Arjuna e Asti nem imaginam como seus destinos estão entrelaçados, e que o inimigo real com quem ambos terão que lutar é o terrível Naguendra.

Devo dizer que a história como um todo me surpreendeu e superou minhas expectativas. Me surpreendeu com a descoberta de que tratava-se de uma ampla história que usa como pano de fundo a história da humanidade e... Vampiros! Sim, a cada mitologia conhecemos um tipo diferente de vampiro. Os Devas da mitologia hindu são magos da magia, vampiros que se alimentam da energia mágica que alguns humanos possuem, descendentes de Hollow Deva. São tidos como deuses e são divididos em castas conforme os poderes que possuem. O que resulta num amplo leque de seres.

Mas não só em suas base que a história ganha muitos pontos. Além de um ritmo incrível, cheio de ação e mistério, A Profecia de Samsara tem personagens bem caracterizados. Arjuna a Asti são ótimos protagonistas, que apesar da vulnerabilidade emocional da idade são fortes e decididos quando necessário. O que os torna até críveis. Draupadi é do tipo misteriosa, que não passa uma página sem fazer você se perguntar de que lado ela realmente está. Naguendra é o típico vilão terrível que dá até prazer em odiar, chega a ser repulsivo. E até os personagens secundários tem seu brilho, como a Deva curandeira Camil e sua divertida aprendiz Liz. Mesmo Gandiva, uma espécie de guia espiritual de Arjuna, tem ótimos momentos.

Ao termos técnicos também só tenho elogios. A divisão em capítulos curtos narrados na terceira pessoa intercalando os pontos de vista de Arjuna, Asti, Draupadi e Naguendra. Leticia tem uma narrativa fluída e envolvente, e tem o dom de mesmo na terceira pessoa conseguir dar vozes diferentes e marcantes aos personagens. Além disso, a autora, que é designer gráfica, é responsável pelas belas ilustrações da capa e das aberturas de cada capítulo. O livro conta com um lindo mapa, um prelúdio de como toda a história começa, uma descrição dos seres, um glossário de termos e ainda uma incrível linha do tempo mostrando a trama aliada à História mundial.

Concluo dizendo que certamente me aprofundarei mais nesse universo Red Luna. Espero em breve poder conferir o primeiro livro A Biblioteca do Czar com base na mitologia russa, e ficarei de olho no lançamento do terceiro livro que provavelmente se chamará A Maldição do Sol com base na mitologia japonesa. Bem como ficarei atenta às HQs e ao cardgame que partilhará o nome do terceiro livro, e que logo será lançado. Pois mesmo não tendo muita afinidade com jogos fiquei curiosa. Recomendo, e quem quiser saber mais é só clicar aqui.

5 comentários:

  1. Caramba não sei o que mais me impressiona, se é a interessante história, ou o fato de uma brasileira escrever sobre mitologia indiana. Achei bem legal o propósito do projeto. Felizmente você não foi prejudicada por ler o segundo livro da série, imagina: você fugindo de spoilers e iria acabar de ler vários spoilers do primeiro livro. Ainda bem que não são uma "continuação" (se é que você me entende).


    www.booksever.com.br

    ResponderExcluir
  2. GabrielaCeruttiZimmermann30 de janeiro de 2015 17:24

    Pois, nisso dei sorte, Filipe. Mas se fosse de fato continuação e eu percebesse que seria prejudicada, fecharia e iria correndo comprar o primeiro. [rs] Todavia, foi ótimo conhecer o projeto e recomendo. :)


    Abraço!

    ResponderExcluir
  3. Adoro mitologia e esse livro parece ser muito interessante!
    Fico feliz em ver que os livros brasileiros estão variando tanto de temas... Isso ajuda o pessoal a perder o "preconceito" com os livros nacionais.

    ResponderExcluir
  4. GabrielaCeruttiZimmermann30 de janeiro de 2015 19:31

    Concordo, Fernanda. E também é bom ver que a série tem grande potencial.


    Abraço!

    ResponderExcluir
  5. Oi Gabriela,

    Já tinha assistido um vídeo da Tatiana Feltrin falando sobre esse livro e fiquei logo interessado. Lendo agora sua resenha esse interesse apenas cresceu. Tudo parece colaborar para que essa seja uma boa leitura. Mitologia, personagens, enredo... Enfim, quero ler. O que eu não sabia é que faz parte de uma série, então tomarei cuidado de começar pelo primeiro. Amei a resenha!

    Abraços!!!

    ResponderExcluir