domingo, 26 de outubro de 2014

[Resenha] O Diário de um Mago

Nome: O Diário de um Mago
Autor: Paulo Coelho
Edição: 1/2012
Editora: Sextante
Páginas: 240

Sinopse: O Diário de Um Mago é o relato da peregrinação feita por Paulo Coelho em 1986 pelo Caminho de Santiago. Motivada por sua profunda ambição espiritual e pelo desejo de se tornar escritor, a travessia se transforma em algo maior do que ele imaginava. Enquanto narra sua jornada mística e as duras lições que aprendeu com o guia Petrus, Paulo entende que o extraordinário não reside em rituais e segredos mágicos, mas na simplicidade e no cotidiano das pessoas comuns.

Além de descrever as paisagens e os perigos que encontra ao percorrer 700 quilômetros entre o sul da França e a Espanha, o autor recorda a história dos cruzados e de figuras religiosas marcantes que passaram pelo lugar. Também nos mostra que, embora nem tudo esteja claro para nós, é preciso aceitar os mistérios do mundo e nunca abandonar o Bom Combate.
As descobertas feitas no Caminho de Santiago mudaram a vida de Paulo Coelho para sempre e lhe forneceram um material valioso, que acabou se tornando seu primeiro grande sucesso editorial. Ao mesmo tempo um conto de aventura e um guia para o autoconhecimento, este livro oferece uma combinação perfeita de encantamento e reflexão.

Comentários:

Sempre tive a impressão de que Paulo Coelho é um autor que você ama ou odeia. Há pouco mais de um ano e meio achei que estava na hora de descobrir qual deles ele seria pra mim, foi quando comprei O Diário de um Mago. Já tinha lido O Gênio e as Rosas, que é uma compilação feita por ele de contos tradicionais e ilustrada por Maurício de Souza. Mas precisava ser algo realmente criado por ele. Só que por ser um livro que você precisa estar preparado para ler fui deixando, deixando... Até que resolvi criar vergonha na cara e ler.

O Diário de um Mago é o primeiro livro de Coelho, onde ele narra sua jornada de três meses pelo Caminho de Santiago de Compostela. Mais especificamente pela Rota Jacobeia. Eu já sabia de algumas coisas sobre o Caminho, inclusive tenho um primo que o fez. Mas nunca tinha ouvido nada parecido com o que o autor conta sobre sua experiência, que foi aprender as Práticas de RAM (Regnus Agnus Mundi). E para isso ele precisou de um guia, o italiano Petrus.

Durante o Caminho ele aprendeu alguns exercícios – que estão descritos no livro – e lições que teriam aplicações práticas em sua vida. Muitas dessas coisas fazem o leitor refletir, e dá para tirar bons ensinamentos. Principalmente sobre fé, lutar pelos seus sonhos e o ato de amar o próximo. Sem falar que na questão dos sonhos, antes de lutar por eles você precisa saber o que fará com eles.

Apesar de ter tirado boas lições do livro, não posso dizer todo ele me agradou. Já vi e passei por coisas que muitos não acreditariam, por isso sempre procuro ter a mente aberta. Mas, sem querer dar uma de Dana Scully, algumas coisas me pareceram muito ficcionais. E como nunca tinha ouvido nada sobre a Regnus Agnus Mundi resolvi pesquisar, e não achei nada muito conclusivo. Inclusive que pode ser uma “criação literária de Paulo Coelho”. O que me deixa na dúvida sobre o quanto a narrativa é real.

No fim das contas, cheguei a conclusão de que não amei nem odiei. A narrativa é agradável, fácil, e aprendi algumas coisas. Leria sem problema algum outro livro de Paulo Coelho, inclusive pretendo fazer isso. Mas não será uma prioridade.

5 comentários:

  1. Oi Gabi!
    Eu nunca li nada do Paulo Coelho, mas talvez tenha sido de tanto ter ouvido opiniões negativas sobre ele vindas da minha mãe. Ela já leu alguns livros dele, não sei se esse está entre eles, mas ela não gosta... E então, por isso, acho que nunca me interessei...
    Acho que tenho exatamente essa impressão que vc tinha sobre ele: Ou vc ama, ou vc odeia.
    Beijão!!!

    http://penny-lane-blog.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Ei Gabi,

    Sou suspeito em falar do autor, afinal me encaixo no time dos que amam o trabalho do cara. Acho os livros dele excelentes para reflexão e cada vez que leio algo de sua autoria, é como se sentisse um incômodo referente a algumas coisas. Mas também concordo que a mania que ele tem de colocar coisas que são ficção, como se fosse fato, incomodo bastante. Mas procuro relevar e ler como puramente ficção. Espero que gosto mais do próximo livro que ler.

    Abraços!!!

    ResponderExcluir
  3. GabrielaCeruttiZimmermann27 de outubro de 2014 19:16

    Como sempre ouvi opiniões bastante distintas tive que tirar a prova, Maiti. Sabe como é né? Acabei ficando em cima do muro, pois não amei nem odiei. Mas pelo que sei de ti você não iria gostar mesmo. [rs]


    Beijos!

    ResponderExcluir
  4. Oi, Gabi. Nunca li nada do Paulo Coelho, tenho curiosidade, mas já ouvi várias opiniões negativas a respeito dele.

    Bom final de semana, beijos *-*

    carreteldeletras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  5. GabrielaCeruttiZimmermann1 de novembro de 2014 14:02

    Oi, Isabela. Bom, Paulo Coelho é daqueles que se mostra um autor diferente para cada um. Não posso dizer que amei o livro, mas aproveitei muitas coisas. Então o você ter sua própria experiência.


    Abraço!

    ResponderExcluir