sexta-feira, 24 de outubro de 2014

The Flash - Primeiras Impressões


Apesar de adorar esse universo de super heróis, o pouco que eu vi de Smallville e Arrow me desanimaram com ele na TV. Só que Agents of SHIELD acabou sendo tão boa, que resolvi dar uma nova chance aos meta-humanos. E foi assim que resolvi assistir The Flash.

Sem dar muitos spoilers, vamos dizer que a trama gira em torno de Barry Allen, um jovem perito criminal que trabalha para o departamento de polícia. Quando criança, Barry presenciou o assassinato de sua mãe, morta pelo "homem dentro do raio". Como ninguém acreditou na tal história do garoto, seu pai acabou sendo preso e condenado pelo crime. Barry passa, então, a viver com o Detetive West e sua filha, Iris, onde é acolhido como parte da família.

De volta aos dia atuais, o jovem vive uma vida pacata até que, no dia de inauguração de um acelerador de partículas do laboratório S.T.A.R., algo de errado acontece e o acelerador explode. Como consequência, surgem alguns meta-humanos e Barry acaba se tornando o homem mais rápido do mundo. Depois de muito drama, o rapaz resolve assumir a identidade do Flash e salvar o mundo.

Pensando na série dessa forma, ela parece mais do mesmo. E em certos pontos ela realmente é. Vamos a eles: Barry é apaixonado por Iris, que só o vê como um irmão. Iris namora em segredo com Eddie, parceiro de seu pai. E, claro, o único que sabe de tal namoro é Barry. Ou seja, longos minutos durante cada episódio são perdidos em toda essa tensão reprimida.

Outra linha de sequências bem chatas são aquelas em que West e Barry têm suas brigas de família, onde West tenta bancar a figura paterna e o jovem a recusa. Parando para pensar que Barry já não é um adolescente revoltado, muito menos uma criança, as atitudes dele costumam ser incrivelmente medíocres. Ok, a vida dele não é fácil, mas ainda assim fica difícil torcer para  moço.

Por fim, creio que o último item da lista de coisas que não gostei é o elenco em si, fraco demais. Não sei se esses personagens que não têm carisma ou se são os atores que não conseguem transmitir isso. Algumas cenas se salvam, mas a maioria acaba deixando a desejar.

Ainda assim, com todos esses pontos negativos, acabei gostando do seriado e colocando na minha grade. Apesar dos problemas de elenco, do drama desnecessário e do protagonista fraco, uma simples cena, no final do primeiro episódio, me fez voltar para o segundo e dar uma chance à série: quando Harrison Wells, fundador do laboratório STAR e que ficou paraplégico durante a explosão do acelerador, acessa uma sala secreta, levanta de sua cadeira de rodas e consulta um holograma de um jornal de 10 anos no futuro com a manchete da queda do Flash. Só isso, essa única cena - e a cena final do segundo episódio, que não posso contar por causa dos spoilers - fazem valer a pena assistir à série. O suspense criado supera todos os problemas... Pelo menos, por enquanto.


Não vou dizer que The Flash é uma série fantástica e inovadora, porque ela não é. A trama é bacana, a proposta é boa e o suspense futurista te prende, mas ela tem muitos problemas. Vai acabar sendo um sucesso igual Arrow, já que existe uma grande parcela do público de seriados que gosta desses dramas humanos, mas não faz muito meu gênero. Enquanto a trama de Wells (que, por sinal, é um H. Wells que pode - ou não - fazer referência ao escritor H.G. Wells) continuar me prendendo, continuo com ela. E, quem sabe, a trama dê aquela guinada que a gente tanto gosta de ver...

Ficha Técnica

The Flash (Universo DC Comics)

 Elenco: Grant Gustin, Candice Patton, Jesse L. Martin, Rick Cosnett, Danielle Panabaker, Carlos Valdes e Tom Cavanagh.

 Exibição: Terças-Feiras, pela CW (EUA)

 Status: Primeira temporada em exibição
 .

 Trailer
http://www.youtube.com/watch?v=Yj0l7iGKh8g

5 comentários:

  1. GabrielaCeruttiZimmermann24 de outubro de 2014 18:06

    Também não gosto de dramas humanos, toca aqui! o/ kkkk Acabei deixando The Flash fora da minha grade justamente por causa dessa péssima tendência da CW pra transformar qualquer coisa em novela adolescente e as péssimas escolhas de elenco. Apesar de que terá Wentworth Miller, mas ele não será fixo né? Mas com esses pontos positivos, vou acompanhar seus comentários. :) Ótimo texto, Hanna.


    Abraço!

    ResponderExcluir
  2. Olá!


    Gostei da dica


    resenhaeoutrascoisas.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Ei Gabi, é uma pena você não ter gostado tanto assim do seriado. Eu estou acompanhando, e confesso que estava esperando muito mais, porém ainda vou continuar acompanhando para ver qual o desfecho.

    Achei que seria uma coisa bem diferente de Arrow, porém pude perceber que ambas as séries tem um formato muitíssimo parecido, e para mim isso não foi um ponto positivo. Queria algo diferente e inovador, acho que com a temática daria para fazer uma coisa bem diferente, e ainda sim mesclar algum episódio com Arrow (como eles pretendem fazer).


    Ótima crítica como sempre!
    www.booksever.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Oi Hannah,

    Olha, nunca fui lá grande fã de super-heróis, mas ultimamente tem saído tanto material sobre eles que estou sendo vencido pelo cansaço. Estou vendo os filmes primeiros, muitos da Marvel e da Sony, mas as séries também estão na lista. Entre elas Gotham, Arrow e The Flash. Os pontos negativos desanimam um pouco, mas torço para ser fisgado por esses plots citados por você. Gostei muito da sinceridade de seu texto.

    Abraços!!!

    ResponderExcluir